Revelações

Lembram do post feriadão? Imaginem eu e Liz na cama, sem roupa. Estamos de frente um para o outro, com nossas pernas entrelaçadas. Luzes apagadas. Somente a claridade da tv dando o tom do ambiente. O canal? Playboy TV. Duas gatas se amassando numa grande cama vermelha.

O pescoço de Liz é meu alvo permanente. Beijinhos, lambidas, chamo ela de gostosa, de puta safada, mordisco a pontinha da sua orelha. Ela se arrepia e recua, mas imediatamente volta pedindo mais. Beijos constantes. Amo seus lábios. Amo quando morde os meus.

Meu pau já está duríssimo, é claro. Liz adora segurar e mexer nele. Diz que é o maior que já “pegou”. O maior que já botou na boca. Que já preencheu sua buceta.

Desvendo os contornos do seu rosto com meus lábios, aperto sua bunda com força.

R _ Sou louco pra sentir seu esse cuzinho.

L _ Eu sei, você não come cu, já me falou isso. Coitada de quem der pra você. Vai ficar arrombada.

R _ Nada, sou carinhoso.

L _ Qualquer hora eu tento dar pra você. Mas nem se anime por que não vai ser o primeiro.

Silêncio

R _ Você está mentindo.

L _ Não estou. Ja dei para meu primeiro namorado.

Silêncio

L _ Tá com ciúmes?

R _ Tô. Você nunca me contou.

L_ E precisava?

R _ Eh, não.

Me afasto. Volto as atenções para a TV. Liz vira para mim e pega de novo no meu pau. Sussurra no meu ouvido:

L _ Quer saber como foi?

Me arrepio todo. Meu corpo responde por mim.

_ Foi assim. Chegamos na casa dele após um passeio, num final de tarde de sábado. Estava muito quente. Ele se atirou na cama. Tirei a roupa e fui direto para o chuveiro. Ficamos conversando com a porta aberta. A água estava uma delícia.

R _ Tomava sempre banho na casa dele?

L _ Nos finais de semana, quando estávamos juntos. Quieto, senão eu paro.

R _ Não, continua.

L _ Ele ficou em silêncio, achei que tivesse cochilado.

R _ Não?

L _ Terminei o banho e fiquei em baixo da água. Pensando em algo. E comecei a me tocar. Devagar. Deu vontade. Estava de costas para o box. Fechei os olhos. Bom.

Liz continua a me masturbar. E cola a boca no meu ouvido.

L _ Não vi ele entrando. Nao sei quanto tempo me observou. Mas me pegou por tras com força. Senti o pau dele. Me pegou pelo cabelo, me pressionou na parede e ficou roçando o pau na minha bunda.

R _ Você tava gostando?

L _ Muito. Já estava molhada.

R _ Pronta pra levar pica.

L _ É.

R _ Tesão. Continua.

L _  Não haviam palavras, só queria aquele pau dentro de mim. Ficamos um pouco assim, ele passando a pica no meu rabo. Me segurando pelo cabelo, mordendo meu pescoço. Passou a mão em mim todinha.

A gente queria fuder, rápido. Abri as pernas um pouco. Ele dobrou os joelhos e colocou na minha buceta

R _ Entrou gostoso?

L _ Sim, tava melada de tesão.

R _ Sua buceta é melhor, amor.

L _ Ele socava gostoso, com força. Adoro assim. Deitados, em pé. De qualquer jeito gosto. Enfiava e me tocava no clitóris. Apertava os bicos do meu peito. Depois tirou. Me ajoelhei e botei o cacete dele na boca. Gosto de sentir meu cheiro num pau gostoso.

R _Que vadia!

L _ Sou, agora a sua vadia. Mas ja fui de outros.

L _ Chupei um pouco e saímos. Ele sentou no vaso sanitário e eu sentei no colo dele. Com o pau dentro de mim. Gostoso. Estávamos molhados. Ele ficou se tremendo e tirei. Ele ia gozar. Queria mais. Virei de costas e fiquei abri a bunda com as mãos pra ele ver  meu cú. Fiquei rebolando pra ele.

R _ Nossa, se fosse comigo eu ia lamber seu cu.

L _ Foi o q ele fez…

R _ Caralho amor quero te fuder.

L _ Não! Fica quieto, deixa eu terminar.

_ Nao sabia que era tão bom um lingua no cú. Deixei, tava toda arrepiada. Ele lambeu o dedo e colocou um pouco.

R _ Deve ter gemido gostoso.

L _ Sim. É bom…

L _ Fiquei rebolando e ele pegando do pau pra manter duro. Deixei o cuzinho bem aberto e desci pra ele encostar a cabecinha. É bom isso. Tava tâo melada e queria tanto aquele pau no meu cu! Botei na buceta um pouco pra lubrifica. Depois segurei e mirei de novo em mim, agora sem volta. Foi entrando devagarinho. Entrou metade. Tirei. Entrou de novo mais um pouco. Ai foi só me ajeitar. Pronto tinha um pau gostoso na minha bunda. Doía, mas tava gostoso. Quando tirava melava ele com o que saía da minha buceta. E ele colocava de novo.

R _ Caralho Liz, delícia!

L _ Fiquei de quatro pra ele, apoiada no vaso e ele meteu de novo sem dó. E comecou a socar rápido.

R _ Rápido quanto?

L _ Assim (me punhetando).

R_ Nossa que cu gostoso!

L _ Vai seu puto, goza.

R _ Ele gozou no seu rabinho?

L_ Claro que sim. Porra quente gostosa em mim. Socando forte e gozando…

R _ Caralho nao pára!

L_ Imagina a porra dele escorrendo de dentro de mim.

R _ Deixa eu gozar no seu cú.

L _ NÃO! Na minha mão.

R  _  Porra, Liz! Vai. Aaahh… Aaaaaaahhhhh!

L _ Goza, goza, goza!

R _ Caralhooooo ahhhhh….

L _ Vem me abraça.

Liz deitou em cima de mim.

R _ Voce sabe que vai ter que dar esse cú pra mim agora, né?

L _ Seja bonzinho e eu vou pensar no seu caso.

 Um beijo gostoso… Adormecemos. Nus. Sujos. Tv ligada. Imaginação estimulada. Relação alimentada.