DP – Capítulo 12

Uma dupla penetração prazerosa tem que ter ritmo, compasso. Se a fêmea não tem muita experiência, os paus de seus parceiros devem entrar e sair vagarosamente e alternadamente. Senão o prazer pode virar incomodo. Estocadas fortes já são para as gatas mais experientes. Não, eu nunca fiz uma DP! Mas adooooro ver isso nos filmes pornôs que assisto com Digo! E sabe do que gosto também? De ver paus gozando nas faces das atrizes. Banho de sêmen na boca! Hummm!

Rodrigo aprendeu direitinho nos filmes a fazer uma DP. Ele e Christian se entenderam rápido. As penetrações aceleravam e diminuíam harmoniosamente, sempre ao comando de Mile, que pedia e delirava cada vez mais. Roberto fazia da minha buceta um parque de diversões, não dando muita atenção ao que a esposa realizava ali na sua frente. E vou falar: ele pode não ter os atributos físicos que uma mulher sempre fantasia, mas sabe usar muito bem as qualidades que possui. Carisma, simpatia, um pau gostoso e uma língua…. ah que língua!!! Que dedos!! Não precisou muit Capítulo 12 – DP o para que eu finalmente gozasse. Segurei firme na cabeça dele, próximo à nuca, forçando seu rosto contra minha virilha. Abri bem as pernas e gozei, tremi de cima a baixo. Rob provou tudo e não desperdiçou nada. E só parou de chupar depois que lambeu todo o meu gozo. Então deitou ao meu lado. E no seu peito pude me confortar e relaxar, assistindo nossos parceiros em ação. Delicadamente, ele começou a fazer um cafuné em minha cabeça. Como retribuição, levei uma de minhas mãos ao seu membro acariciando-o devagar. Aos poucos, ele foi novamente enrijecendo.

_ Isso meu amor, faz assim, que gostoso, disse.

Do colo de Roberto, vi Milena sentar em Christian, de costas para ele, e preenchendo seu cuzinho com o membro do nosso amigo. Num leve movimento, ela se inclinou para trás, deitando totalmente sobre seu abdômen e seu peito sarados. Christian segurou-a pela cintura e as reboladas reiniciaram. Rodrigo, de pé, ficou apreciando a cena, masturbando-se. E logo, trocou o preservativo e se encaixou por cima de Milena, com os joelhos apoiados no sofá chaise, invadido o buraco que faltava.

_ Isso meus machos, me arrombem! Ai, ai, que delicia!

Rodrigo passou a penetrar Mile com força, como um cachorro no cio. Era hora dele gozar. Christian entendeu o recado e parou os movimentos, mas sem tirar o pau de dentro dela. Milena gemia e beijava meu noivo na boca, envolvendo seu pescoço com seus braços. Em certo momento, colou seu rosto no dele e disse:

_ Você quer gozar cavalo? Só vai quando eu mandar!

_ Você é uma puta sacana, disparou Rodrigo.

_ TAP! Milena dá um tapa surpreendente na cara dele.

_ Quer me enfrentar, seu filho da puta? E então vem um beijo ardente.

_ Quero te encher de porra, responde.

_ Então vem, vamos juntos, seu desgraçado. Milena falou a palavra mágica.

Ainda enrabada por Christian, Mile começa a forçar sua pélvis contra Rodrigo. E geme alto, como se não estivesse aguentando. Roberto pede para eu me afastar um pouco. Coloco a cabeça novamente na almofada e ele levanta. Ao lado do trio, continua sozinho a se masturbar, agora olhando sua mulher gemer de tesão com seus buracos todos invadidos.

_ Ela vai gozar, conheço esse choro!

Os movimentos aceleram, Roberto vê aquilo tudo como se estivesse em frente a uma montanha de dinheiro, ou como uma criança, quando ganha seu primeiro brinquedo.

E Milena goza incrivelmente, mais uma vez, tremendo dos pés à cabeça.

_ Caralhoooooo, ahhhhhhhhhh, isssooooooo, ahhhhhhh! Puta que o pariu!!!

Rodrigo, não aguenta mais, e percebe que Roberto quer gozar em cima da esposa. Ele levanta, puxa a camisinha para fora do pau e se posiciona ao lado dele. Mile sai então de cima de Christian e senta no sofá. Christian também se levanta e se ajoelha próximo ao rosto dela. Não demora muito para começar a receber os jatos de porra pelo seu corpo e sua face. Primeiro os de Rodrigo, e logo em seguida, os do marido e por ultimo, do chefe de cozinha. E eu ali no chão, estática, acabada e relaxada, curtindo tudo aquilo.

_ Ahhhhhhh, ohhhhhhh!

_ Isso meus cavalos, me encham de gala! Diz ela, extasiada, espalhando o presente recebido pelo corpo, com as mãos.

Rodrigo sempre soube que eu era safadinha, falávamos muita putaria na cama, sempre. Mas nunca poderia imaginar, que a partir de um flagrante na porta do banheiro, com um amigo dele, nossa vida sexual iria mudar completamente. E pra muito melhor. Estavamos ali, exaustos, no meio de uma suruba incrível, que não imaginávamos nem mesmo em nossas fantasias!

Um beijo quase “coletivo” (sem a troca entre os homens, é claro) encerrou aquela noite maravilhosa e celou de vez a nova amizade que se iniciava. Fomos todos para a piscina nos refrescar, beber mais alguma coisa e conversar. Carícias, amassos e sorrisos dentro da água, como se aquilo fosse rotina para nós. Poucos minutos mais tarde, Roberto, só de toalha, já cochilava na poltrona. Christian, sempre à serviço, dava uma ordem na área externa do apartamento e tomava uma cerveja. Milena como um peixinho, não saia da água. Tinha um papo maravilhoso, falava sobre suas viagens com Roberto ao exterior. E se divertia com nossas conversas sobre o início do relacionamento.

Demos mais alguns minutos e resolvemos ir embora. Vestimos nossas roupas, que já estavam organizadas por Christian em cima de uma cadeira. Nos despedimos. Rodrigo e Christian deram as mãos. E depois abraçou e deu mais um beijo quente e demorado em Milena. E lá estava eu agarrada mais uma vez naquele chef maravilhoso. E ali tive a certeza de que aquela noite ainda não havia acabado. Pelo menos pra nós dois.

_ A partir de hoje esta casa também é de vocês. Voltem sempre que quiserem! Disse Milena, abraçada em Christian, que parecia agora ser o esposo e chefe da casa.

_ Muito obrigado, respondi, já na chegada do elevador.

As portas se fecharam, e lá estávamos eu e Rodrigo, a sós no elevador, exaustos, sorrisos estampados de orelha a orelha e, certamente, muito mais apaixonados e unidos.